Tag Archives: portugal

Raquel Coelho – Banca rota

 

Raquel Coelho

Artigo de opinião de Raquel Coelho no Tribuna da Madeira – o pravda ilhéu.

Banca rota

O país está falido, não há dinheiro para nada. Mas, para os bancos, os recursos continuam ilimitados. Sempre que um banco está em apuros, logo os governantes o auxiliam com os dinheiros públicos; isto apesar de o estado português se encontrar, ele próprio, em situação de pré–bancarrota.

Foi assim com o BPN. Ao longo de anos, a Sociedade Lusa de Negócios (SLN), grupo detentor do banco, realizou todo o género de negócios. Acumulou os lucros nas empresas da SLN, enquanto os prejuízos engrossavam o passivo do BPN. Em 2008, José Sócrates nacionalizou o banco, assumindo todos os seus prejuízos, mas deixou intacta a SLN. De seguida, o estado saneou as finanças do banco e vendeu-o a preço de saldo.
Triste é também a história do Millennium-BCP, entidade tomada de assalto pelo Partido Socialista no tempo de Sócrates e que, sob a gestão de Armando Vara, concedeu empréstimos sem critério e sem garantias. Está perto da falência, começa a despedir pessoal. E vem agora o estado, já em 2013, comparticipar, com apoios sociais, na operação de despedimento coletivo do banco.
A estes bancos falidos junta-se ainda o Banif, instituição cuja imagem foi profundamente afetada pelo escândalo da herança de Horácio Roque, disputada pela sua mulher Fátima, guerrilheira da Unita, e suas filhas Teresa e Cristina. Descapitalizado, sem quota de mercado, o banco vê agora os seus problemas resolvidos, pois recebe uma injeção de 1100 milhões do estado. Um absurdo!
Igualmente estranha foi a aquisição do Finibanco pelo Montepio Geral (MG). O MG, não sendo uma entidade pública, tem responsabilidades sociais óbvias, pois é a maior associação portuguesa, com cerca de 530 mil associados. Quando o Finibanco acumulava já enormes prejuízos, surge uma oportuna OPA por parte do MG. O Finibanco apresentou lucros apenas no semestre da venda, as ações valorizaram artificialmente dias antes da operação, com uma valorização de 22% em apenas três dias, inflacionando o valor da OPA em dezenas de milhões. O MG comprou muito caro o Finibanco, prejudicando os mutualistas.
Os exemplos sucedem-se de forma agonizante. Os bancos constituem autênticos sacos rotos onde são despejados, criminosamente, os escassos recursos do povo português.
http://pravdailheu.blogs.sapo.pt/762014.html

Advertisements

A CRISE NÃO É PARA TODOS …

 

ANONYMOUS em guerra contra a pedofilia na Internet

Image

 

ANONYMOUS em guerra contra a pedofilia na Internet

Henrique Jales, conhecido como o pedófilo da TVI, após 12 vítimas confirmadas, recebe 5 anos de pena suspensa e sai do Tribunal em liberdade.

A pedofilia tem sido uma prática presente em todos os momentos da história da Humanidade. O conceito de pedofilia, que tem sido apenas vulgarmente associado a práticas criminais de atos sexuais contra crianças, pode estender-se também, a outros comportamentos de caráter sexual, ou uma intensa atração sexual, fantasias sexuais relativas a pessoas menores e, apesar de todas as considerações ou explicações patológicas que possam ser produzidas, este comportamento é, hoje, universalmente condenado.

Há mais de um ano que várias esferas do universo virtual ANONYMOUS têm mantido uma guerra com diversos sites, redes e seus responsáveis, que disponibilizam, vendem ou partilham, na Internet, pornografia infantil.

As partilhas destas redes pedófilas têm como objeto não só imagens de sexo explícito ou diversos tipos de violência física e psicológica contra menores, como também imagens de crianças ou jovens nas mais banais atividades com as mais diversas indumentárias que os consumidores deste tipo de serviços possam considerar “interessantes”. Daí os mais diversos apelos, tendo como alvo os usuários de toda a Internet e redes sociais, alertando para as consequências de partilhas públicas de imagens das suas famílias. Algumas destas redes forneciam também plataformas não só para a troca de experiências entre pedófilos como também para o assédio direto a menores através de fóruns e chats.

Desde a enorme ofensiva #OpDarknet, a #OpSafeKids, #OpLithChild ou a mais recente #OpPedochat, diversos grupos ANONYMOUS têm exposto dados concretos, de usuários e administradores de servidores.

Desde a boychat.org, annabelleigh.net, pedofilie.be e pedofilie.nl, underlicious.net, xperienceproject.com/groups/Love-Boy-Love,  youngcity.net e youngcity.org ou ainda cjat.org, são apenas alguns exemplos de alvos de organizações, sites, redes e fóruns alvo de ANONYMOUS (paste sobre alguns dos alvos aqui : http://pastebin.com/CzEe8aVX ou dados de users aqui http://pastebin.com/u9xjrBnU)

Este combate é travado também contra “organizações” que defendem o “amor homem/criança” publicamente, como os casos de modernblmag.net ; nambla.org ; reformsexoffenderlaws.org ou ainda ipce.info

(paste sobre alguns estes alvos aqui : http://pastebin.com/iKEpnKEc)

Esta guerra, estranhamente, tem sido mantida fora dos holofotes dos mais diversos canais média mundiais, não obstante os fantásticos resultados obtidos. A mesma comunicação social, tão dinâmica quando é feito (apenas a titulo de exemplo), um simples ataque DDOS a uma qualquer filial da JSD ou do Governo Reg. Madeira tornando o site indisponível por algumas horas (em Portugal), ou nos casos dos ataques realizados em protesto contra sites do FBI (nos Est. Unidos), , rotulando o Hacktivismo de práticas perigosas e criminosas de “piratas informáticos” como um mal universal a ser combatido, tem-se mantido silenciosa no que diz respeito á publicação por parte de ANONYMOUS de nomes de users e passwords, IPs e mesmo números de cartões de crédito de consumidores e distribuidores de pornografia infantil.

Mais de estranhar ainda, a inatividade de diversos órgãos de investigação policial na perseguição criminal a estas pessoas. A perseguição criminal é feita sim, a membros ANONYMOUS que mantêm estes sites indisponíveis e que invadem servidores roubando informação que poderia ser utilizada na deteção de pedófilos e redes pedófilas em plena atividade, ajudando a proteger crianças à volta do globo.

Uma transcrição de uma conversa entre ANONYMOUS e um responsável de um destes servidores, sugere uma explicação macabra. O responsável pelo site pedófilo “Lolita City”, a determinada altura ameaça os Anons :

“ some of the users of Lolita city are high level politicians, cardinals, and business men” …

… “we’ll make sure your lives are ruined for messing with us”

Tradução : “alguns dos users do Lolita City são políticos com altos cargos, bispos e homens de negócios” … “nós vamos fazer com quer as vossas vidas fiquem destruídas por se meterem connosco”

Toda a conversa aqui : http://pastebin.com/YHDnL3de

Existem, no entanto, algumas leis a serem aprovadas, e “novos” hábitos de servidores de redes sociais, que publicamente são anunciadas como meio de combate a este flagelo. Porém, desde a lei CISPA, ao mais recente anúncio da rede social Facebook que vai começar a monitorizar os chats privados entre usuários através da ativação de palavras chave, estas medidas são acolhidas pela maioria dos usuários da Internet, não como um meio de combater criminalidade, terrorismo ou as mais diversas ameaças aos cidadãos e sociedades supostamente livres, mas sim, como mais um instrumento de monitorização e controlo social, politico, comercial , de populações cada vez mais sujeitas à condenação de desvios às orientações comportamentais que lhes são impostas.

Para isso, contribuem exemplos, como o caso do FBI não ter efetuado qualquer investigação sobre os dados disponibilizados por ANONYMOUS em ações descritas acima, enquanto se acumulam condenações, detenções e processos criminais a quem faz o download do último filme de Spielberg ou do mais recente CD da Lady GAGA ou da Madonna.

Segundo os mais variados comunicados, provenientes das mais variadas zonas do globo, disponibilizadas por ANONONYMOUS, estas ações, embora não possam, por si só, por termo à pedofilia ou mesmo a toda a sua procura e oferta na Internet,  e cientes da interminável tarefa que têm pela frente, sujeitos eles à perseguição, não só de autoridades judiciais, policiais e governamentais, como de violentas organizações criminosas, estas operações não vão terminar e a guerra contra a pedofilia na Internet vai existir enquanto houver ANONYMOUS que respirem.

Contudo, e apesar de ser fortemente recomendado por estes grupos de ANONYMOUS, que pessoas sem capacidades técnicas e conhecimento informáticos, não tomem parte nestas ações, para salvaguardarem a sua própria segurança, não nos resta a nós senão enaltecer aplaudir, agradecer e divulgar.

We are ANONYMOUS

We are Legion

We do not forgive … We do not forget …

Expect us !

Inês Santos

Alguns links relacionados :

http://pastebin.com/HhSDfiEw – how to catch a pedophile

http://i.imgur.com/mwAvG.jpg – flyer às autoridades

http://pastebin.com/u/theanon0ne – dados sobre OP Pedochat

http://pastebin.com/u/opdarknet – dados sobre OP Darknet

http://pastebin.com/CzEe8aVX – sites com dados publicados

http://pastebin.com/u9xjrBnU – lista de users pedófilos no twitter da #OpTwitterPedoRing

Alguns vídeos relacionados :

http://www.youtube.com/watch?v=NRxrSsfXjmY

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=B6If7vTIf1A

Outros locais com informação :

http://par-anoia.net/

http://www.uri.edu/artsci/wms/hughes/ppitv.htm

via

RiseUp Portugal
http://www.facebook.com/RiseupPortugal

Estado – opressor de cidadãos

Estado – opressor de cidadãos.

Image

PROTESTO DE ALUNOS ACABOU EM CONFRONTO COM A PSP

PROTESTO DE ALUNOS ACABOU EM CONFRONTO COM A PSP

PROTESTO DE ALUNOS ACABOU EM CONFRONTO COM A PSP

O presidente da Associação de Estudantes da Escola Secundária de Alberto Sampaio, em Braga, acusou, esta sexta-feira, a PSP de “investir” sobre os alunos que se manifestavam contra a criação de um mega-agrupamento e de lançar gás pimenta. Um dos alunos foi hospitalizado.

“Atiraram com gás pimenta para cima dos alunos, uns ficaram com os olhos inchados, outros com a boca a arder, houve agressões, não entendemos tanta violência quando a situação poderia ser resolvida com uma conversa”, disse Pedro Martins, presidente da Associação de Estudantes, em declarações ao JN.

Um dos alunos foi hospitalizado, por lesões causadas por gás pimenta.

Os pais dos alunos estão revoltados com a desproporcionalidade da intervenção da polícia e com a violência empregue sobre “alunos do 7.º ano”.

Na página do Facebook do Comando do PSP, esclarece-se que foi preciso garantir que os bombeiros tinham acesso ao portão para cortar o cadeado.

“Durante a intervenção, alguns alunos agarraram-se aos polícias na tentativa de os demoverem dessa intenção, cercando-os posteriormente. Para evitar a necessidade de intervenção com bastões de ordem pública, foi utilizado por um polícia, gás pimenta para cessar os atos referidos”, refere a mesma mensagem no Facebook.

“A Polícia lamenta este episódio e assume que a intervenção foi feita na medida e proporção a evitar uma intervenção mais “musculada””, acrescenta a PSP no Facebook.

Protesto contra mega-agrupamento

Os portões da Alberto Sampaio foram fechados a cadeado, manhã cedo, enquanto os alunos colocaram faixas pretas nas grades e formaram uma espécie de cordão humano frente ao portão principal, em protesto contra agregação da Escola Alberto Sampaio ao agrupamento de Nogueira, criando um mega-agrupamento que, segundo Pedro Martins, ficará com 3500 alunos.

A escola permanece sem aulas, agora já com os portões abertos. Os alunos continuam o protesto contra a integração da escola no mega-agrupamento. A PSP já retirou do local.

jn.pt